domingo, 16 de abril de 2017

Sobre Lembrar

Tem dia que é pouco
Tem dia que é muito
Tem dia que é quase nada
Tem dia que é o dia todo
Tem dia que faz bem
Tem dia que não faz
Tem dia que dói
Tem dia que também dói
Ontem teve, hoje tem,
Amanhã também terá
Todo dia é dia de lembrar
Todo dia eu insisto em me maltratar


Mas se um dia, quem sabe, isso cessar
Vai ser o dia mais feliz da minha vida
E eu vou comemorar te ligando pra contar
Que eu consegui te esquecer
Que eu consegui não pensar

terça-feira, 4 de abril de 2017

segunda-feira, 6 de março de 2017

2%

Nós somos raridade, somos aquele pequeno detalhe que faz toda a diferença. 
Somos a margem da humanidade, aberrações, mutações, erros genéticos.
Temos “defeitos” que enaltecem a beleza do exótico, 
aguçando desejos, causando inveja, virando fetiches.
Fomos um encontro desses que só acontece uma vez na vida, 
uma afinidade como a probabilidade mínima de existir, um raio que só cai uma vez.
Fazemos estrago com pouco, não precisamos de mais. 
Não somos mais, apenas especiais. Poucos, raros e belos.


E juntos, enquanto essa estimativa permitir.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Alforria

A liberdade custa caro, e eu tô pagando um dobrado pela minha. Na liberdade de deixar ir, pensei que se voltasse seria meu... não voltou, esse amor nunca foi meu. Talvez nunca tenha sido amor. Liberdade é poder sentir o que quiser e principalmente o que não se quer sentir. Liberdade é querer estar sem precisar, só pelo simples fato de querer ficar ali. Liberdade também é não querer estar e eu não estou. Eu estou livre. Sou, eu sei que sou, pelo menos eu preciso acreditar nessa premissa. Nessa liberdade que me fere. Quisera eu que ela rasgasse somente a minha pele, feito tatuagem. Minha liberdade é cicatriz, que vez ou outra volta a ser ferida que se abre e sangra. Minha liberdade dói, pois sendo livre deixo minha prisão aberta. E eu aprendi a viver nessa prisão, me apeguei a ilusão do conforto-nem-tão-confortável-assim. Eu estava cega, e ainda não consegui enxergar a luz do mundo que me cerca, mas não leva tempo até a minha vista se adaptar. Às vezes me sinto livre, é nisso que devo acreditar, me agarrar, me ater. Liberdade não se ganha, não se compra, se conquista, se escolhe ter ou não ter. Eu tenho a minha, devidamente assinada como numa carta de alforria.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Sobre o Gigante

- Outro dia desses eu li um monte de texto teu no blog
- Sério? Nunca mais eu escrevi.
- Por quê? Tu escreve tão bem.
- Sei lá... Não tenho mais inspiração, não sinto mais.
- Não precisa falar sobre sentimentos, escreve sobre outra coisa...


Bom, eu não sei escrever sobre outra coisa, desculpa. Só sei falar sobre sentimentos, e olha que ironia, hoje, preciso falar sobre o meu, por ti. Achei lindo esse encontro "do nada", essa conversa "despretensiosa", aqueles abraços "amigos". O teu olhar o mesmo de sempre, o teu sorriso um pouco diferente, o teu cheiro completamente outro. Eu lembro, quando éramos crianças que eu te achava o máximo, tu era melhor que eu em quase tudo, era mais forte, era mais alto, mais esperto... Hoje tu é maior, um gingante (risos da piada interna). O tempo passa e a gente acaba perdendo pessoas importantes que a gente jamais se imaginou sem. Eu nunca me imaginei sem ti, ainda não imagino. É bom saber que a gente tá mais perto, e de alguma maneira, mais próximos. Contigo eu tenho a liberdade de falar da minha vida totalmente aberta, contigo não tenho aquele receio de errar os pronomes (mais risos), contigo é diferente, sempre vai ser. Hoje, meu amor... eu só te desejo o que de melhor a vida pode te trazer, amor, paz, sorte. Eu sempre estarei aqui, independente do que aconteça, de quem aconteça. Eu sempre vou ser aquela garotinha com o cabelo amarrado no pitoche te esperando na calçada... sempre.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Criptografia

É incrível, não é? Como tu consegues entender o que eu tento não dizer no silêncio desse olhar. 
É admirável essa percepção, quase uma ligação, uma conexão sem dados triviais.
Só meus olhos te contando o que lá no fundo eu queria, e não poderia ou não deveria te falar. 
Essa conversa que, criptografada por detrás dessas lentes, só se desfaz aos teus sinais, 

que por sinal, aqui não se vê mais.

domingo, 2 de outubro de 2016

Do Escritor

"Se um escritor se apaixonar por você, você nunca morrerá"... Agora... Se tu não pretendes ser eterno, não me iluda com promessas vagas que jamais se concretizarão, não me encante com esse teu sorriso perfeito e esses olhos fascinantes, não me seduza com teu jeito atraente e esse cabelo provocante...  
Se não for pra ter 'pra sempre', nem me venha com essa de 'era uma vez'.